Compartilhar share

Prefeitos da região da Ameosc participam de reunião com Ministra da Agricultura e Governador de SC em Chapecó

Publicado em 13/01/2022 às 08:30 - Atualizado em 13/01/2022 às 08:31


Créditos: Foto: Ascom Ameosc Baixar Imagem

Os prefeitos dos municípios associados à Ameosc (Associação dos Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina), estiveram em Chapecó na tarde desta quarta-feira (12), onde se reuniram com autoridades e lideranças do setor agrícola. A reunião teve a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, do secretário de Política Agrícola, Guilherme Batos, do presidente do Conab, Guilherme Ribeiros, do presidente da Embrapa, Celso Moretti, além do Governador Calos Moisés, o secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva e demais autoridades de Santa Catarina.

O objetivo foi tratar sobre a crise gerada pela estiagem nos municípios do Oeste e Extremo Oeste do Estado. Na região, os prejuízos na produção agropecuária são incalculáveis. Na cultura de milho safra, as perdas superam os 40%; na cultura da soja, as perdas são de mais de 24% e na produção de leite, houve uma queda de produção de mais de 21%. Além da falta de água para o consumo dos animais, a falta de alimentos é eminente. Além de não germinar, as pastagens estão secando e as reservas de alimento - como as silagens de milho, fenos e pré-secados - estão comprometidas e serão insuficientes para a alimentação dos animais nas propriedades.

Conforme o secretário executivo da Ameosc, Airton Fontana, ofícios solicitando o auxílio do governo do Estado, através de equipamentos e recursos aos municípios e produtores rurais, foram entregues em mãos ao governador Calos Moisés e ao secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva. Representaram os prefeitos na entrega, a prefeita em exercício de Paraíso, Silene Líbero e o vice-presidente da Ameosc, o prefeito de Mondaí, Valdir Rubert. Também esteve presente na entrega, o presidente da Cidasc, Plínio de Castro.

O documento solicita formalmente o auxílio emergencial na destinação de recursos para a realização do transporte de água bruta e potável, para contratação de máquinas e equipamentos para abertura de bebedouros e demais reservatórios de água, aquisição de caixas para armazenamento de água e aquisição de kit de bombeamento de água dos reservatórios ou rios. Além disso, solicita crédito de emergência de R$ 50 mil com juros subsidiados e prazo de 10 anos para pagar, com rebate de 20% do crédito para quem efetuar os pagamentos no prazo estabelecido em contrato. O ofício também pede subsídio no pagamento do troca-troca de sementes de milho e repactuação das dívidas dos produtores rurais do programa do Pronaf para custeio e investimentos.

PREJUÍZOS NA REGIÃO

O quadro de chuvas abaixo da média se arrasta desde o mês de abril de 2019, chegando a 1.662mm de chuva a menos em relação à média histórica da região. Somente no mês de dezembro de 2021, houve uma diminuição de mais de 150 milímetros de chuva em relação à média histórica dos anos anteriores. As previsões pluviométricas para os próximos três meses seguem de diminuição considerável dos índices pluviométricos e esgotamento dos recursos hídricos nos solos de nossa região.

Na região, conforme dados da Ameosc, são mais de 12 mil famílias que trabalham e vivem no campo, produzindo alimentos e contribuindo com o desenvolvimento do Estado. Somente na produção de leite, a região abrangida pela Associação produz o equivalente a 22% da produção total do Estado. Tendo em vista a importância da atividade para a economia do estado e sustento das famílias rurais, o documento solicitou o apoio do governo estadual às famílias que vem sofrendo com as perdas de produção agropecuária, além de auxílio na obtenção de água potável para o consumo humano e para os animais, especialmente na produção de suínos, aves e de gado de leite.